https://www.facebook.com/phenomenabijou

Un affaire de coeur ♥

Phenomena surgiu em janeiro de 2012 como um fenômeno que se mostra e toma vida própria. Uma grife com inspirações orgânica, animalesca e colorida. Além desse toque primitivo, sugere sofisticação e atualidade, embalada por musas do rock`n`roll e ícones mitológicos, literários, da moda e do cinema.

Quem usa Phenomena não teme ousar e se destacar, confiando na originalidade e 

criatividade em qualquer lugar – basta usar sua imaginação e fantasia.

Phenomena é realizada por Jaqueline Gentis e seu entourage felino, Minotauro e Medusa, que representam todos os amigos e clientes que apóiam e ajudam a construir uma marca autônoma e inovadora.

 
 
COMO COMPRAR:
A PHENOMENA tem um espaço na Endossa do Centro Cultural São Paulohttp://ccsp.endossa.com/
e na loja Feira Moderna, na Vila Madalena http://www.feiramoderna.com.br/
 
Coleção Prima Trópico
Image
Image
Image
Image
Image

Cofundadora do movimento artístico conhecido como Orfismo ( década de 10), caracterizado por cores fortes e formas geométricas,  Sonia fez maravilhas através da pintura, do design têxtil e tecelagem, da cenografia e figurino. Seu trabalho  de design moderno trazia os conceitos da geometria abstrata, móveis integrados, murais, tecidos e roupas. Viveu de 1885 a 1979.

Musa inspiradora da Phenomena https://www.facebook.com/phenomenabijouImage

 

Image

Image

Image

Image

 

Image

só pra lembrar os tempos em que a Madonna era realmente incrível, fazia o que queria, não fingia ter sotaque cockney e não se metia a fazer filmes ruins. Sex Book da Madonna, 1992.

Gretchen Weinberg entrevista Len Lye / Na Film Culture, 1963.

Você acha correto fazer figuras abstratas agirem como humanos, batendo e encostando uma na outra?
Eu mesmo, não; porque isso pra mim é literário, e só me interesso pelo lado puramente cinético e sensorial. Bem, na verdade, não sei pelo que me interesso.

Você tenta conscientizar o público de certas percepções sensoriais que ele tinha, mas não sabia?
Bem, nunca ouvi falar de um público. Não sei o que é um público. É um monte de gente que basicamente é uma versão única de individualidade como eu, então só me interesso por mim. Arte é uma questão de ser eu.

Você não acredita que filmes experimentais como os seus são feitos para um público especial?

Oh, céus, não. Só foram feitos para mim, e se alguém gostar deles, ótimo. Eu só os faço por diversão. Isso se você parte com um espírito de investigação, como eu fiz, e ninguém o neutraliza. Meu entusiasmo na vida foi descobrir algo significativo pra mim. Agora, como diabos posso desenvolvê-los se precisa ser significativo para o público? É a última coisa que me interessa no mundo. A principal obsessão é achar algo significativo, não pensar: “Bem, gostaria de saber se esse cara vai gostar disso”. Que se dane! (Gargalhada)

Vídeo: Robbie Cooper: Sexo, Suspiros & Videotape

O vídeo mostra aficionados em filmes porno falando desta experiência em momentos extáticos. surpreendentemente e inquietamente íntimo.

Assista aqui!


Louise Bourgeois


Ceci, c’est un Michelângelo!

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.